//Jaureguizar sobre o congresso do Pen: “Uns señores e unhas señoras mantidos”

Jaureguizar sobre o congresso do Pen: “Uns señores e unhas señoras mantidos”

ALFREDO FERREIROJaureguizar: «

[…] O domingo pasado estiven tratando de informarme dos debates e das decisións que se tomaran no 82º Congreso do PEN Internacional, que se celebrou en Ourense. Non era nada persoal, soamente curiosidade de contribuínte. Toda a noticia que recibimos no xornal foron unhas fotografías duns señores e dunhas señoras mantidos, que sorrían o seu agradecemento á restauración ourensá, pero non atopei nin un mísero resumo dunha conferencia. O congreso pasou por internet de modo limpo e inane. Acordaran falar sobre a liberdade de expresión no mundo, pero nin Raúl Castro de Cuba nin Mohamed VI de Marrocos poden saber a que escritores deben liberar se ninguén os informa […]». {Cfr. El Progreso: Non levamos pistola á xuntanza familiar}.

Também se pode dizer que, se bem semelha que acudiram mais de duzentas pessoas, o número de autores e autoras conhecidas galegas não parece passar da meia dúzia, se contarmos —exceção feita dos membros da diretiva— as pessoas observadas em mesas, atuações e palestras (cfr. Programa congresso Pen 2016 em PDF e referências abaixo). Por isso não nos admira que, nesta escasseza, chegássemos a saber que destacados escritores galegos de Ourense nem foram convidados ao evento. Paradoxalmente, cabe ressaltar que não poucas foram as instituições galegas promotoras do evento: Deputación de Ourense, Concello de Ourense e Xunta de Galicia.

 


Máis información picando no logo:

alfredo-ferreiro-logo-o-levantador-de-minas


 Quizá che interese

By | 2017-03-29T17:23:32+00:00 20/10/2016|Categories: LOS OTROS|Tags: , , , |1 Comment

About the Author:

Alfredo Ferreiro
Nasceu na Corunha em 1969. Estudou Filologia Hispânica e iniciou-se na Teoria da literatura. É membro da Asociación de Escritoras e Escritores en Lingua Galega e da Associaçom Galega da Língua. Tem participado desde 90 em inúmeros recitais de poesia e colaborado em revistas galegas e portuguesas, entre elas Anto e Saudade, sob a direção de António José Queiroz. Na atualidade é membro do Grupo Surrealista Galego. Como crítico tem colaborado em publicações periódicas impressas como A Nosa Terra, @narquista (revista dos ateneus libertários galegos), Protexta (suplemento literário de Tempos Novos), Dorna e Grial, para além de em diversos projetos digitais. De 2008 a 2014 dirigiu, junto com Táti Mancebo, a plataforma de blogues Blogaliza. Desde 2006 é asíduo dos meios eletrónicos, em que se dedica à divulgação da literatura e do pensamento crítico. Atualmente colabora no jornais Praza Pública e Sermos Galiza. A inícios de 2014 fundou, junto com Táti Mancebo e Ramiro Torres, a revista digital de artes e letras Palavra comum, dirigida ao âmbito lusófono. Desde outubro de 2015 é coodenador do Certame Manuel Murguía de Narracións Breves de Arteixo.

One Comment

  1. […] [Artigo também publicado em Laduda.net.] […]

Leave A Comment